Obrigada pelo interesse em meu trabalho!
Por favor, preencha o formulário abaixo para entrar em contato comigo.

Obrigada! Sua mensagem foi enviada! :)

Oops! Ocorreu um erro ao enviar o formulário.
Verifique as informações e tente novamente.

HOME
>
BLOG
>
Desenhos da Semana
>
Desenhos da Semana #49

Desenhos da Semana #49

Desenhos em lápis pastel, nanquim e grafite e dicas para quando a inspiração sumir.

comentários

Olá, pessoal! Aqui vamos nós para mais uma edição dos Desenhos da Semana.

Fiz um estudo em grafite e lápis branco no papel kraft, além de outros dois, um em canetas nanquim e outro totalmente em lápis pastel.

Estou gostando muito de trabalhar no papel kraft. Dá para explorar muitos pontos que, no papel branco, a gente não consegue explorar tanto — ou até consegue se no caso explorar alguma iluminação colorida (hmm, uma ideia para um desenho no futuro com certeza).

Comecei a semana com esse sketch de uma orc guerreira que acaba de encontrar um amuleto. O amuleto em questão é inspirado no Amulet of Kings, artefato que existe no universo de Elder Scrolls, hehe. Como já comentei, amo o lore do jogo e adoro me inspirar nesse tema medieval e mundo incrível visto na franquia.
Nesse desenho quis trabalhar mais expressão, anatomia e ambiente para criar uma composição que trouxesse uma história dentro de si, para que quem visualiza pudesse enxergar realmente que ela está feliz e empolgada de ter encontrado o amuleto que é tão especial. Além disso, uma empolgação que vem à tona depois de uma batalha incessante — por isso os cortes, machucados dela.
A princípio, iria trabalhar apenas com canetas brancas e pretas, mas resolvi adicionar o vermelho também para reforçar os cortes e marcas, além do amuleto (que também é vermelho). Uma maneira de enfatizar a ação como um todo.
Desenho finalizado :)

Antes de ir para o próximo desenho, vamos para um dos temas que citei que comentaria nesse post: a falta de inspiração.

Falta de inspiração chega para qualquer um, a qualquer momento e sem avisar. Se preparar para esse momento com antecedência é sempre bom. Quando estou assim — mesmo no trabalho também, quando preciso fazer um logo ou site e a inspiração não vem — simplesmente paro tudo e desenho o que vem na cabeça. É uma maneira de limpar a mente para se preparar para algo melhor.

Não se desespere, apenas esteja preparado(a).

Além disso, parar tudo e fazer qualquer outra coisa diferente do que você está acostumado ajuda muito também — caminhar no parque, assistir algo, ler algo. Eu, geralmente, gosto de desenhar. Então faço vários mini sketches soltos sem ideia fixa, ou simplesmente trabalho mais a fundo algo que possa vir à mente e que achei interessante, como no caso do próximo sketch:

O sketch que comecei quando estava sem inspiração.
Gosto de trabalhar os sketches aos poucos. Quando sinto que não tenho todos os detalhes ainda, paro e volto depois quando surge alguma nova ideia para agregar aquele sketch.
Quando finalmente sinto que já tenho tudo o que preciso, sigo adiante. No caso, resolvi pintar com lápis pastel. OBS: em posts anteriores você pode conferir mais dicas sobre como faço as pinturas.
Adoro trabalhar tons dourados. Necessita um pouco de paciência porque é uma mesclagem de várias lápis, são vários layers de cores para chegar nos tons desejados e amo o fato de poder usar o lápis branco para reforçar os brilhos no desenho.
No post anterior, inclusive, comento mais sobre uma maneira interessante que encontrei de mesclar tons de lápis pastel usando um pincel velho.
Desenho finalizado. Aliás, a ideia desse desenho é justamente ser solto, sem sentido. Como falei acima, desenhar o que vem na cabeça é uma maneira de limpar a mente. Ele causa estranheza proposital por conta disso. Afinal, é uma mulher sem mãos e que tem uma das mãos cortadas flutuando na cabeça. O olhar dela é frio, sem expressão, como se fosse uma boneca quebrada. Sim, realmente, é para não ter sentido algum mesmo, hahaha ;)
E, último porém não menos importante, um estudo de cavalo que fiz — já que fazia tempo que não desenhava cavalos, haha.
Esse foi feito com grafite, lápis branco e alguns pequenos singelos detalhes com caneta branca. Inclusive, mantive algumas áreas do cavalo sem pintar para que a própria cor do papel desse a característica de luz projetada ao desenho.

Antes de finalizar o post, queria fazer uma comparação rápida desse cavalo com outro sketch de cavalo que fiz em 2013:

Reparem no que anos de prática podem fazer nos seus desenhos. No de 2013 fiz um sketch super meticuloso, com medo de não ser "perfeito". No de 2018, eu simplesmente abro mão da preocupação e simplesmente faço. Essa é outra dica, inclusive: solte-se. Deixe-se levar. Seus desenhos ficarão tão mais vivos e cheios de movimento uma vez que você deixar de querer ser perfeito e abraçar a ideia de que a imperfeição também faz parte da natureza, tanto humana quanto do próprio mundo em si.

E por hoje é só, pessoal :)

Se você ainda não assinou a newsletter e gostaria de acompanhar o blog para não perder nenhuma novidade, fique à vontade para assinar, clicando aqui.

Uma ótima semana para você!

Daniela S. Nassetti
Designer Gráfico, Web Designer e Ilustradora
Fascinada por games e arte conceitual, busca o sonho de ser concept artist. É Designer, formada pela Escola Panamericana de Arte e Design com experiência há mais de 15 anos na profissão.

Posts ReLACIONADOS