Entre em contato
Obrigada pelo interesse em meu trabalho! Por favor, preencha o formulário abaixo para entrar em contato comigo.

Obrigada! Sua mensagem foi enviada! :)

Oops! Ocorreu um erro ao enviar o formulário.
Verifique as informações e tente novamente.

MENU

A falta de tempo e porquê paramos de desenhar

Daniela S. Nassetti
|
Reflexão
|
August 27, 2015
Reflexão

A correria da vida nos cerca de maneira tão imprevisível que costumamos nunca ter tempo para nada. Muitas vezes ficamos presos a trabalhos que não gostamos pela ideia de ter estabilidade financeira e, pior ainda: deixamos de fazer algo que gostamos para nos focar em um bilhão de coisas que não nos levarão a lugar algum. Claro, precisamos pagar as contas e é totalmente compreensível que nos preocupemos com isso. Entretanto, precisamos nos lembrar de quem somos e do que gostamos, pois é através da descoberta do nosso foco e do foco nessa descoberta que nosso futuro pode mudar. Calma, vou explicar melhor:

Quando descobrimos a profissão que realmente amamos, precisamos liberar um tempo no dia a dia para nos focar nela, ao mesmo tempo que mantemos nosso trabalho atual para pagar as contas.

Por exemplo se você, assim como eu, ama ilustração, mas não tem tempo para desenhar, comece a reformular sua rotina e mudar alguns hábitos! Comece a desenhar já, agora! Não deixe o sonho para depois! Reserve algumas horas do dia para se focar no seu sonho. Falta de tempo nada mais é do que uma perturbação na força, um problema que criamos e precisamos resolver para restaurar o equilíbrio. Não deixe para depois o que você pode fazer agora, pois o esforço e dedicação serão recompensados lá na frente com certeza.

Quem nunca sofreu esse tipo de situação? Quem nunca se viu enclausurado na rotina do dia a dia, preocupado com os problemas e com medo de começar algo que não sabe se dará certo? Isso acontece com todos, mas se você ama algo, não vale a pena lutar por esse amor?

Independentemente do resultado final, não vale a pena dizer “eu me esforcei“, ao invés de se sentir culpado(a) pelo resto da vida de não ter ao menos tentado se dedicar à profissão que gostaria?

E acredite: independentemente do resultado final, mesmo se lá na frente sentir que não deu ou dará certo, você aprenderá muito ao longo da jornada e esse conhecimento te proporcionará inúmeros caminhos e satisfação.

Não é fácil, eu sei, reformular sua rotina para se dedicar ao que realmente importa; deparar-se com inúmeros erros e mais erros; dedicar umas três horas por dia a algo que você não faz ideia se valerá a pena… mas eu te digo: vale a pena sim!

Quantas vezes pensei: “mas será que compensa eu me dedicar à ilustração? Tem tantas pessoas melhores do que eu, é um mercado tão concorrido…” etc. E quer saber? Não importa! Estou fazendo o que gosto. Não digo que não amo design gráfico, adoro, mas ilustração é o meu foco, é a minha paixão principal. Dedico meu tempo tanto para o meu trabalho em design quanto também a ajudar minha mãe na nossa empresa que meu pai deixou (confesso, não gosto muito, hahaha, mas faz parte da rotina e ajuda a pagar as contas) e, claro, algumas horas por dia para treinar minhas habilidades em desenho. Tem sido ótimo. Melhor do que eu imaginava, aliás!

Você saberá mais sobre esse meu desenho no próximo post da série Desenhos da Semana :)

Falando em desenho… Por que será que paramos de desenhar? Na infância éramos incentivados a desenhar, motivados a despertar a criatividade e a curiosidade… e então, quando crescemos, parece que desenhar se torna algo infantil, brincadeira de criança. Quantas vezes já vi desenhistas profissionais comentarem que ao dizer que são desenhistas as pessoas costumam dizer: “nossa, mas como você paga as contas?” ou “você tem outro trabalho?“, “me desenha de graça?” e por aí vai, hahaha. E convenhamos, esse pensamento não está condicionado apenas à profissão de ilustrador/desenhista, mas também para quem trabalha com design gráfico e outras profissões que envolvem o meio artístico. Já tive gente que me dizia para mudar de profissão, que isso não levaria a nada… mas nunca, jamais, deixei a opinião dos outros me afetar.

Nunca deixe que os outros te digam que o seu sonho é irrelevante. Afaste-se de pessoas negativas, frustradas e sem propósito na vida.

Quase impossível não se deparar em algum momento da vida com uma pessoa assim. Aprendi ao longo dos anos a ignorar o que elas dizem, pois não leva a nada mesmo. Críticas construtivas — sejam positivas ou não — é o que vale ouvir para tornar seu trabalho melhor. Busque ter em seu círculo de amigos pessoas que te incentivem e te critiquem de forma construtiva, não pessoas de mente fechada e negativas. Só acabam por te fazer desistir do que gosta e te tornar frustrado(a) assim como ele(a).

Enfim, corra atrás de seu sonho e não deixe para depois. De que adianta ficar a vida toda trabalhando com algo que não gosta apenas porque te dá estabilidade financeira? Às vezes nem dá, mas paga as contas e aí reside o problema. Vamos empurrando com a barriga e lá na frente nos arrependemos e questionamos o que fizemos ao longo da vida… e por aí vai.

Lembre-se: não importa quantos anos você tem ou no que você trabalha hoje. O único inimigo que você tem é você mesmo. Não é o tempo que nos prega peças, nós mesmos que o enchemos de coisas inúteis e criamos desculpas para não seguir nossos sonhos. Nunca é tarde demais para voltar a desenhar ou fazer o que gosta.

“Escolha um trabalho que você ame e nunca terá que trabalhar um dia em sua vida.” – Confúcio
Daniela S. Nassetti
Designer Gráfico, Web Designer e Ilustradora
Fascinada por games e arte conceitual, busca o sonho de ser concept artist. É Designer formada pela Escola Panamericana de Design com experiência há mais de 15 anos na profissão.

Posts ReLACIONADOS

Receba atualizações por e-mail:

Obrigada! Sua inscrição na newsletter foi efetuada!

Oops! Ocorreu um erro.